sábado, 27 de junho de 2009



SABIA?

» Que a situação económico-financeira do Município de Portimão vai de mal a pior?
» Que no ano de 2008, como se sabe, o endividamento do município cresceu a uma média de quase 12 milhões de euros ao mês?
» Que em 2008, o “BURACO” do município e das empresas municipais foi de 28 milhões de euros?
» Que até Maio do presente ano, o montante da dívida cresceu cerca de 36% em relação ao ano anterior?
» Que a primeira fonte de receita são os impostos e a segunda os empréstimos?
» Que esta gestão é suicida e que a curto prazo o município vai ter que pagar de juros e amortizações, mais de 500.000,00 euros por mês?
» Que esta situação está a tornar-se incontrolável, muito provavelmente irá faltar dinheiro para pagar salários aos trabalhadores do município?
» Que o PSD / PORTIMÃO exigirá na altura própria uma profunda sindicância à Câmara Municipal de Portimão, a fim de apurar responsabilidades sobre os “porquês” da dívida incontrolável?
A população Portimonense deve conhecer em toda a extensão a gravidade do problema. Todos iremos pagar. Os cidadãos devem pronunciar-se, e não acreditar em palavras mansinhas do Senhor Presidente da Câmara.

terça-feira, 23 de junho de 2009

DIZER QUE NÃO DISSE


COMUNICADO


Na passada semana, através de vários órgãos de comunicação social, nomeadamente jornais e televisões, foram os portimonenses informados que o presidente da Câmara, Manuel da Luz, defendia a introdução de um Imposto Sobre Turistas como forma de garantir mais receitas para o Município.

Por considerar tal proposta pouco razoável o PSD Portimão entendeu não assumir, de imediato, qualquer posição pública sobre a matéria, preferindo aguardar um desmentido por parte do presidente da Câmara alegadamente autor da intenção.

Estranhamente os dias passaram e, não só, a noticia não era desmentida como ainda se sucediam reproduções da mesma bem como a divulgação de diversas tomadas de posição contrárias a tal proposta inclusivamente de associações ligadas ao sector.

O PSD Portimão, ultrapassado o prazo considerado razoável para que fosse emitido um desmentido sobre um tema que estava a provocar grande celeuma na sociedade portimonense, sob pena do seu silêncio ser entendido como concordância com tal proposta assume publicamente através de comunicado a sua oposição frontal a tal proposta, desafiando inclusivamente o partido socialista a clarificar se apoiava a proposta do seu dirigente.

Para nossa surpresa, no dia 19 de Junho, vários dias após a primeira noticia sobre o dito imposto, e quando o assunto era já tema generalizado de todas as conversas, é emitida uma nota à comunicação social pelo gabinete do presidente da Câmara em que era feito um desmentido à noticia.

A referida nota refere, ainda, “(…) só a má-fé de uma oposição sem ideias é que pode fazer de uma ideia um facto consumado.(…)”.

Sobre esta tomada de posição do presidente da Câmara o PSD – Portimão coloca as seguintes questões:

1 – Porque demorou tanto tempo o Dr. Manuel da Luz a desmentir as noticias publicadas?

2 – Porque reage o Dr. Manuel da Luz com ataques à oposição se foi a imprensa a divulgar a notícia desta sua brilhante ideia?

3- Será que o Dr. Manuel da Luz já pensou que em vez de aumentar impostos, há outras soluções, ou será que ideias destas não as consegue ter?

Deixamos à população portimonense, porque confiamos na sua capacidade de discernimento, a análise e conclusões sobre a análise destes comportamentos.

Portimão, 22 de Junho de 2009

A Comissão Política PSD / Portimão

quarta-feira, 17 de junho de 2009

NEM DÁ PARA ACREDITAR



COMUNICADO



De acordo com notícias veiculadas nos meios de comunicação social, Manuel da Luz, o presidente socialista da Câmara Municipal de Portimão defende a criação de um Imposto Sobre o Turista, cuja receita reverteria para o município.

O PSD – Portimão compreende que, perante a grave situação económica da Câmara Municipal, Manuel da Luz, procure por todos os meios arranjar receitas que lhe permitam continuar a irresponsável política despesista que tem caracterizado o seu mandato, com milhões de euros de dívidas, e que já o levou a propor a venda do património municipal como forma de se financiar.

O PSD – Portimão não aceita é que o faça com propostas de criação de novos impostos que irresponsavelmente podem pôr em causa a capacidade competitiva dos operadores da principal actividade económica do concelho; Sendo evidente que tal facto se repercutiria negativamente a toda a estrutura económica e social agravando as já difíceis condições impostas pela actual crise que a todos impõe sacrifícios, menos à Câmara Municipal de Portimão, que continua insensível à realidade.

O PSD – Portimão entende que esta atitude é um exemplo claro de quem vive muito distante da realidade da região, e que desconhece o verdadeiro sacrifício dispendido pelo tecido empresarial.



Há muito tempo que o PSD vem chamando a atenção da população portimonense, para os perigos da Política da Cigarra levada a cabo pelo executivo socialista da Câmara Municipal de Portimão, que sempre negou e procurou esconder a real situação das finanças municipais.

O Partido Social Democrata de Portimão repudia totalmente e de forma categórica a proposta de criação de tal imposto e desafia o Partido Socialista de Portimão a clarificar se subscreve esta proposta irresponsável do seu dirigente.

Portimão, 17 de Junho de 2009


A Comissão politica do PSD / Portimão

AGONIA FINANCEIRA



SABIA QUE…?


» Que a CMP está em situação de agonia financeira?

» Que as dívidas e Compromissos do Município e das Empresas Municipais ascendem a mais de 250 Milhões de euros?

» Que para continuar a ter dinheiro para gastar em festas e banquetes a CMP, na pessoa do seu Presidente, arranjou a forma mais simples, que é vender o património?


PATRIMÓNIO QUE ESTÁ Á VENDA



- Edifício da Câmara Municipal

- Edifício do Teatro Municipal

- Edifício da Universidade

- Jardim-de-infância de Alvor

- Jardim-de-infância da Quinta do Amparo, em Portimão

- Blocos Camarários de Habitação da 25 de Abril, em Portimão

- Escola da Senhora do Verde

- Escola dos Montes de Cima

- Mercado Municipal da Mexilhoeira Grande

- Jardim-de-infância do Pontal

- Jardim-de-infância das Vendas

- Jardim-de-infância da Coca Maravilhas

- Jardim-de-infância de Montes de Alvor

- Jardim-de-infância da Mexilhoeira

- Jardim-de-infância da Figueira

- Jardim-de-infância da Pedra Mourinha

- Escola do Bairro Pontal

- Mercado Municipal dos Montes de Alvor

- Mercado Municipal da Figueira

- Escola Primária da Estrada de Alvor

- Escola da Figueira

- Escola da Mexilhoeira Grande

- Escola do Poio

- Escola de Alvor

- Escola dos Montes de Alvor

- Escola do Porto de Lagos

- Escola da Coca Maravilhas

- Bloco Camarário Habitação (Rua Dr. João Lúcio)

- Casa da Guarda da Escola Primária da Estrada de Alvor

- Casa da Guarda do Complexo de Ténis de Portimão



Se não acredita, veja os anúncios publicados no Jornal Correio da Manhã de 6 de Junho.

SE ESTA GESTÃO CONTINUAR, FICAREMOS SEM DINHEIRO, SEM PATRIMÓNIO E COM AS DÍVIDAS, AS QUAIS TERÃO QUE SER PAGAS PELOS CIDADÃOS

BASTA!

sexta-feira, 5 de junho de 2009

PORQUE SE ESTÁ A VENDER O PATRIMÓNIO?

SABIA?

» Que a Câmara Municipal de Portimão continua a gastar como se a crise fosse apenas dos outros?

» Que o total de compromissos (despesas) nos primeiros meses de 2009, já vai em 95 Milhões de euros, representando cerca de 45 % a mais do que no mesmo período do ano anterior?

» Que a Câmara na falta de dinheiro só conseguiu pagar 17 milhões de euros, ficando o restante em dívida?

» Que o passivo vai crescendo descontroladamente, colocando o Município inviável e com um endividamento por habitante, que é só o pior de todo o Portugal?

» Que as dívidas a fornecedores continuam a crescer descontroladamente, e só em Abril aumentaram mais 3 Milhões de euros?

PARA ONDE CAMINHA O NOSSO MUNICIPIO?

» Sabia que a proposta encontrada pelo ainda Presidente Manuel da Luz é procurar vender o património, onde nem já o próprio palácio da Câmara escapa?

O PSD não vai consentir a venda e a delapidação do Património público



quarta-feira, 3 de junho de 2009

COMUNICADO


COMUNICADO



O Partido Social-democrata em Portimão, através da sua Comissão Politica, faz saber que a posição tomada pelo Sr. Pedro Martins, vereador eleito nas listas do PSD, em reunião do executivo camarário de 26-05-2009, onde votou favoravelmente a alienação de bens imóveis propriedade da Câmara Municipal para a empresa municipal Urbis S.G.U, é pessoal e da sua inteira responsabilidade, só ele respondendo politicamente pela mesma, pois que tal posição contraria os princípios defendidos pelo PSD Portimão.


Na verdade, trata-se de uma manobra de engenharia financeira em que o Executivo Camarário pretende mascarar a sua péssima gestão, fazendo entrar pela janela o que o legislador, com a proibição de endividamento das autarquias, expulsou pela porta.


O PSD Portimão tem denunciado o despesismo deste executivo, além de onerar gravemente as gerações vindouras, ainda é mais criticável pelo facto de ser tomada em vésperas de eleições autárquicas. A Câmara Municipal de Portimão após se ter endividado de forma irresponsável em muitos milhões de euros, pretende agora vender os anéis, como o fazem as Condessas falidas, para arranjar dinheiro para gastá-lo em festas e festanças. Aliás, acreditamos que a concretização de tal medida, após as eleições autárquicas, se tornará impossível, porquanto o PS deixará de ter maioria na Assembleia Municipal.


Portimão, 03 de Junho de 2009


Pela Comissão Política Concelhia